Afagro distribui 600 máscaras aos associados

214

Com o retorno do atendimento em horário normal na Secretaria da Agricultura (Seapdr), a Associação dos Fiscais Agropecuários do Rio Grande do Sul (Afagro) decidiu distribuir máscaras de tecido aos associados. A ação visa amenizar as consequências da suspensão do isolamento social que os servidores da pasta fizeram de forma parcial desde o início da pandemia da Covid-19. No dia 10 de maio, a Seapdr revogou a medida e comunicou a retomada das atividades em horário integral de trabalho para todos. Até esta data, os servidores estavam trabalhando em horário reduzido, em sistema de revezamento nas tarefas presenciais, e também de casa.

“A distribuição das máscaras é uma tentativa de auxiliar os colegas com os cuidados para evitar a contaminação e também uma forma de suprir a necessidade desse equipamento de proteção individual fundamental”, explica a vice-presidenta da Afagro, Beatriz Scalzilli. A entidade adquiriu 600 máscaras reutilizáveis. Cada fiscal estadual agropecuário associado receberá duas máscaras. É uma contribuição singela mas simbólica da Afagro neste momento de dificuldade pra todos que precisam estar na linha de frente.

Considerada uma atividade essencial, a fiscalização agropecuária sofre com a falta de equipamentos de proteção individual (EPI). Com a Covid-19, esta é uma realidade que ficou ainda mais evidente nas 249 inspetorias de defesa agropecuária, no interior do Estado. Desde o início da pandemia, as regionais da Seapdr têm recebido material insuficiente. No final março, cada regional recebeu, em média, 15 litros de álcool gel para dividir entre as inspetorias de defesa agropecuária, partilha que resultou em 500ml do produto para cada inspetoria.

Em maio, para repor este material, as regionais receberam 5 litros de álcool gel, em média, volume ainda mais reduzido. Nesta ocasião, a divisão do produto resultou em 250ml ou menos para cada inspetoria, situação que acabou fazendo com que os servidores comprassem álcool gel com dinheiro do próprio bolso. Somente agora, no final de maio, é que começaram a chegar máscaras, também em quantidade insuficiente.

Outra questão que preocupa é a higienização precária das instalações. “Existe uma grande deficiência na frequência da limpeza nas inspetorias”, declara o presidente da Afagro, Pablo Fagundes Ataide. O dirigente explica que os valores repassados pela Seapdr são insuficientes para fazer uma limpeza semanal, enquanto na verdade a higienização deveria ser diária devido ao grande fluxo de pessoas nas inspetorias. Nestes casos, os servidores não têm outra alternativa e fazem a limpeza do local por conta própria.

Compartilhe:
Categorias neste artigo
WhatsApp chat