Salário dos fiscais agropecuários do RS é o 18º em ranking nacional

2137

Enquanto o Rio Grande do Sul é o 5º estado que mais exporta e o 6º em Valor Bruto da Produção Agropecuária, conforme dados do Ministério da Agricultura (Mapa), os fiscais estaduais agropecuários estão em 18º lugar no quesito salários. O dado é de levantamento elaborado pela União Nacional dos Fiscais Agropecuários (Unafa), que compara o vencimento básico inicial da categoria em todos os estados.

Considerando a realidade da região Sul, os fiscais agropecuários do RS ficam atrás. Santa Catarina e Paraná estão entre os três melhores salários base. Nos estados vizinhos, a remuneração inicial é mais que o dobro em relação à dos servidores gaúchos. Os profissionais que atuam na fiscalização agropecuária dos estados da região Centro-Oeste também são mais valorizados.

“O salário dos servidores da fiscalização agropecuária do Rio Grande do Sul está em nono lugar entre as remunerações mais baixas”, lamenta o presidente da Afagro, Richard Alves, lembrando que a categoria desempenha um trabalho de extrema importância sanitária, econômica e social. O dirigente lembra do investimento feito pela Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi) na capacitação desses profissionais. “Dedicamos tempo e dinheiro, usamos escassos recursos financeiros, treinamos para fiscalizar e atuar em emergência sanitária, qualificamos e, no fim das contas, entregamos ao mercado”, questiona.

Na comparação com a remuneração dos auditores fiscais federais agropecuários do Mapa, a discrepância é ainda maior. A categoria tem salário inicial 4,5 vezes maior que os servidores estaduais.

Neste 25 de junho, Dia do Fiscal Estadual Agropecuário no RS, a categoria reafirma sua reivindicação por mais valorização, sobretudo neste momento delicado para a produção animal e vegetal devido a ameaças como a influenza aviária e o greening.

Compartilhe:
Categorias neste artigo
WhatsApp chat